A importância da vitamina B12

DICAS

E que tal mais um post do Dr. Guilherme Renke com mais esclarecimentos sobre um assunto que temos mil e uma curiosidades?

Isso aí, o assunto de hoje também é um daqueles temas que tem váaarias polêmicas a respeito, mas que todo mundo tem um monte de curiosidades e por isso, ele separou um post completinho pra tirar nossas dúvidas sobre a importância da vitamina B12

A importância da vitamina B12

vitamina_b12_1A B12 ou a cobalamina é uma vitamina fundamental para o metabolismo do nosso organismo, sendo essencial para a integridade dos sistemas nervosos central e periférico. Além disso, a vitamina B12 participa da formação das hemácias e sua deficiência pode causar a anemia megaloblástica (onde o volume corpuscular médio da hemácia está aumentado).

Apesar de sua importância, a deficiência de vitamina B12 é muito comum na população como mostram estudos, podendo chegar a 20% da população dos EUA e a até 40% dos pacientes idosos hospitalizados. Isso ocorre pois sua absorção é extremamente complexa e pode ser prejudicada pelo tipo de dieta do indivíduo, por atrofia da mucosa gástrica – o que leva a diminuição da produção do fator intrínseco -, pela diminuição do poder de absorção no íleo que está relacionada com a microbiota intestinal, pelo uso de medicamentos que diminuem a sua absorção e com cirurgias, como a bariátrica para redução do peso.

Algumas patologias também estão associadas com a deficiência da vitamina B12, como o hipotireoidismo, de acordo com estudos que estimam 40% da prevalência de deficiência de vitamina B12 em pacientes com hipotireoidismo.

Uma deficiência silenciosa

A deficiência de vitamina B12 é tipicamente assintomática e descoberta normalmente através de análise laboratorial. No entanto, estudos mostram que alterações neurológicas, cognitivas e alterações psicológicas também ocorrem em indivíduos com moderada deficiência de vitamina.

Nos idosos a deficiência de vitamina B12 tipicamente se apresenta como distúrbios sensoriais nas extremidades (formigamento e dormência) e perda de vibração e senso de posição articular, juntamente com problemas de motor e anomalias da marcha, cognição prejudicada, e depressão. Manifestações neurológicas e cognitivas de grave deficiência de B12 são em grande parte sensíveis ao tratamento injetável com vitamina B12 (injeção intramuscular repetida), embora a melhoria pode levar algum tempo.

A vitamina B12 parece, também, ter íntima relação com o sobrepeso. Um estudo muito interessante evidencia uma associação entre baixos níveis de vitamina B12 com obesidade e resistência à insulina na gestação em pacientes não diabéticas. Esses achados são importantes pois podem ter implicações graves na saúde de gestantes sobrepeso, portanto a avaliação da vitamina B12 pode ser uma estratégia preventiva importante.

Medicamentos podem causar a deficiência de vitamina B12?

Sim, recentemente um estudo publicado no jornal da Endocrine Society mostrou que a deficiência de vitamina B12 pode estar relacionada com o uso da Metformina. Como esse medicamento é prescrito e utilizado em larga escala por indivíduos com diabetes 2 a avaliação da cobalamina deve ser feita de rotina por esses pacientes.

Outro medicamento que está relacionado com a deficiência de vitamina B12 são os inibidores da bomba de próton, como o omeprazol. Esses medicamentos diminuem a produção do fator intrínseco que é necessário para a absorção da vitamina B12.

Uma alimentação vegetariana pode causar deficiência de vitamina B12?

Existe uma grande polêmica com relação a isso, pois é sabido que uma alimentação vegetariana pode trazer diversos benefícios para a saúde, no entanto é observada maior prevalência da deficiência de vitamina B12 a longo prazo nesses indivíduos.

A vitamina B12 não é produzida pelas plantas, apesar disso formas análogas da vitamina podem ser encontradas nos vegetais. Alguns estudos mostram que mais de 50% dos vegetarianos e veganos nesse regime há muito tempo possuem deficiência de vitamina B12, isso porque os análogos da vitamina B12, também denominadas de “pseudovitaminas B12”, são moléculas muito semelhantes a B12 do ponto de vista estrutural, mas que não estão na forma ativa.

Assim, estas moléculas são muitas vezes prejudiciais para o organismo porque previnem ou inibem a absorção de formas ativas de vitamina B12 devido a sua ligação com o fator intrínseco. Pequenos ensaios clínicos mostram o contrário, que algumas algas como clorela são eficientes como fonte de vitamina B12 para vegetarianos. Apesar disso, a recomendação ainda é a suplementação com acompanhamento médico e nutricional para os vegetarianos e, principalmente, para os veganos quando há a deficiência de B12.

Segundo a nutricionista Luna Azevedo, especializada em fitoterapia: “os veganos encontram a B12 em alimentos fortificados e por meio da suplementação oral ou injetável. Nesses casos, a origem da B12 é sintética (produzida por bactérias). A suplementação sempre deve ser feita com orientação profissional, pois cada organismo tem a sua dose e especificidade encontradas em análises dos exames laboratoriais. Existe uma crença de que as algas possuem B12, principalmente a nori, mas isso é um mito. Assim como a spirulina, uma cianobactéria, a vitamina B12 proveniente de fonte vegetal são análogos de B12, semelhante em estrutura, mas não biologicamente ativa. Vale informar que a fermentação de grãos não produz B12 nos alimentos e que os alimentos orgânicos também não possuem essa vitamina.“

Importante lembrar que estudos que avaliaram comprimidos de spirulina comprovaram que, apesar de parecer conter cerca de 0,25 a 1 mg de vitamina B12 por comprimido, mais de 80% do que parece ser “vitamina B12” – por ensaio microbiológico – é, na verdade, pseudovitamina B12. Ou seja, a spirulina continha uma pequena quantidade de vitamina B12 ativa na ligação do fator intrínseco. Sendo assim, sua biodisponibilidade é questionável.

Qual a nossa necessidade diária de Vitamina B12?

A vitamina B12 é a única encontrada somente em alimentos de origem animal como: ostras, peixes, ovos, carne vermelha e de fígado, crustáceos e derivados do leite. Precisamos absorver (transportar do intestino para o sangue) 1 mcg de B12 por dia. Como a absorção dessa vitamina é cerca de 50% da quantidade ingerida, a recomendação de ingestão é dobrada e acrescida de uma margem de segurança.

vitamina_b12_2

IDADE:

  • 0 a 6 meses: 0,4 mcg/dia
  • 6 a 12 meses: 0,5 mcg/dia
  • 1 a 3 anos: 0,9 mcg/dia
  • 4 a 8 anos: 1,2 mcg/dia
  • 09 a 13 anos: 1,8 mcg/dia
  • Acima de 14 anos: 2,4 mcg/dia
  • Gestação: 2,6 mcg/dia
  • Lactação: 2,8 mcg/dia

E aí, deu pra tirar todas as dúvidas?

Ah, e se vocês tiverem um tema ou alguma dúvida, manda pra cá que, de repente, a sua dúvida pode virar um post beem bacana!


Dr. Guilherme Renke

Endocrinologia & Metabologia

CRM RJ 52.95096-3 / CRM SP 18344-2

Consultas RJ/SP: (21) 2147-2472 ou (21) 97695-9339

[email protected]

Clínica @nutrindoideais

Nutrindo_logo

ALGUMA OPINIÃO DO POST?

COMENTÁRIOS

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS